Não deixando a nossa congregação



"Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. "
Hebreus 10:25


Visão do Sistema Religioso


Esse texto é utilizado nos templos, quando o líder religioso deseja passar a mensagem de que os membros de sua denominação não devem frequentar outros templos.

Então, numa atitude corporativista, o líder religioso deixa claro que se você é da denominação A, não deve confraternizar com a denominação B.


Visão da Escritura


Vamos analisar um trecho maior da passagem:

Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo.
Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez.
E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados;
Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus,
Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés.
Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados.
E também o Espírito Santo no-lo testifica, porque depois de haver dito:
Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, E as escreverei em seus entendimentos; acrescenta:
E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades.
Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado.
Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,
Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,
E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,
Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa,
Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.
E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e ás boas obras,
Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.
Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados,
Hebreus 10:9-26



- O texto primeiramente faz uma comparação da Velha Aliança, a Lei de Moisés, com a Nova Aliança, a vida no Salvador. Afirma que antes do Salvador, era necessário oferecer vários sacrifícios por parte dos judeus. Mas o Salvador realizou o sacrifício perfeito e único.

- Há uma exortação para que fiquemos firmes na "confissão da nossa esperança", ou seja, a fé em nosso Salvador, NÃO DEIXANDO A NOSSA CONGREGAÇÃO. A congregação da Nova Aliança.

Conclusão



- Quando o apóstolo fala em "não deixar a nossa congregação", ele está se referindo a não voltar a praticar os costumes da Antiga Aliança. "Nossa congregação" não é a denominação A ou B, é a congregação dos integrantes da Nova Aliança, como um todo.

- A carta de Hebreus, foi escrita para os hebreus que reconheceram o Salvador e se converteram à Nova Aliança, mas que queriam manter os costumes da Lei de Moisés (guardar o sábado, festas, não comer certos alimentos, etc). Paulo então os exortou a não deixar a "nossa congregação" para voltar a seguir os costumes de Moisés.

- Considerando que o texto pertence a uma carta, a carta para os Hebreus, logo entende-se que ela foi escrita num local distinto e enviada para o destinatário, pois é uma carta. Sendo assim, se Paulo estivesse falando para as pessoas não deixarem a denominação que frequentam, então ele teria que ter escrito: "Não deixando a VOSSA congregação".

- Mas como Paulo escreve "Não deixando a NOSSA congregação", logo se entende que ele está falando de algo mais abrangente, na qual ele próprio se inclui. Que no caso é a Nova Aliança como um todo, e não uma denominação específica (que naquela época não existia).